om a velocidade de casos positivos do coronavírus no Brasil e a orientação de se fazer quarentena, o mercado de shows está reavaliando seus contratos e reagendando datas para o segundo semestre e até para 2021, como é o caso de Roberto Carlos. O cantor faria mais uma edição do “Emoções em alto-mar” em Cancun, no México, previsto para outubro, e remarcou para o ano que vem ainda sem uma data certa.

A exemplo do Rei, muitos cantores, bandas e duplas sertanejas estão tentando se adequar às novas normas e apresentações que aconteceriam no próximo fim de semana serão feitas no segundo semestre. O problema é que o entorno dos artistas vem sofrendo um baque, já que muitos músicos, produtores e vendedores de shows só recebem após as apresentações dos artistas ou mais próximo da confirmação das datas.

Nesta quinta-feira, 19, o apresentador e locutor de rodeios, Cuiabano Lima, tem agendada uma reunião com o Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, em Brasília. “Como ficou muito em cima e está confuso esse negócio de voos, vou de carro mesmo e teremos uma conversa e uma vídeoconferência com demais representantes para expor nossa situação e buscar auxílio para a classe”, diz Cuiabano, que irá até o Planalto representando a ABRAPE, Associação Brasileira dos Promotores de Eventos.

Com a chegada da doença e a recomendação de não aglomerações, muitos artistas já não sabem quando poderão trabalhar novamente e muitos tiveram datas canceladas. “Bruno e Marrone cancelaram 25 datas e estão tentando remanejar para o segundo semestre”, conta um produtor.

Além do coronavírus, o calendário dos artistas ainda tem as festas de São João no meio do ano. E muitos cachês já foram negociados e pagos. “Em junho e julho ninguém mexeu ainda. Mas estamos bastante preocupados”, diz uma fonte do mundo sertanejo.

Não só no mundo das duplas os adiamentos e cancelamentos têm sido uma questão. Os festivais, como o Vila Mix, a turnê de Amigos e a agenda dos irmãos Melin também sofreram alterações. “Até quando vamos aguentar? Os boletos vão continuar chegando”, lamenta uma empresária.

Fonte: GazetaWeb

© copyRIGHT 2020 - 103 FM ARACAJU. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.